23 de fev de 2009

diário de bordo - DOM JUN 24, 11/16

REALIZADO
Hoje fiz um trabalho avaliação com o grupo. A avaliação foi positiva. Todos tiveram dificuldades durante o processo de pesquisa, pelo fato do tema não ser convencional e ao mesmo tempo amplo. Também tiveram dúvidas (alguns ainda tem) sobre a amplitude do tema. Mas foi explicado a eles que as dúvidas são sempre positivas, pois nos estimulam a buscar sempre mais, superar obstáculos. Eles concordaram com o fato do desafio ser estimulante. Desta forma, todos se sentiram (sentem) estimulados a continuar, mesmo com as limitações individuais que o grupo tem. Enquanto conjunto, existe uma força a ser considerada, mas esta força não está presente no desenvolvimento dos trabalhos individuais.

Depois da avaliação, distribuí ao grupo, dois textos: um, uma série de pequenos “tijolos” publicados no jornal Folha de S.Paulo e outro o texto “PERSONAGENS DO DRAMA” de Izaias Almada.

Solicitei ao grupo que lesse em voz alta os dois textos e em seguida, fiz um trabalho de coro a partir do texto “PERSONAGENS DO DRAMA”. Primeiro pedi ao grupo que lesse o texto em voz alta, se movimentando pelo espaço, em diversas situações de dificuldade física. Com isso, houve uma melhora considerável na qualidade da leitura. Depois disso, o grupo selecionou partes do texto que poderiam ser ditas pelo coro e partes que seriam ditas individualmente.

Em seguida, dei continuidade ao trabalho de corpo e criação de personagens (iniciado com Edson Gory):

CERTAS CANÇÕES – Lisandra Palma
A cena foi feita no camarim do CAC, a exemplo do que aconteceu com Carol na última aula. Também sugeri que Lisandra ouvisse a música Help (que a Thaís trouxe gravada no seu celular) e compusesse sua cena como se fosse uma atriz, na solidão de seu camarim. A cena não foi satisfatória, não houve potência.

DESCOBRIMENTO – Thaís Lopes
A cena não está acontecendo. A impressão que fica, é que ela “destoa” das outras. Foi sugerido que ela explorasse mais a dualidade história oficial-história real (que está apontado no texto de Izaías Almada) e reduzisse o número de objetos. Entreguei a ela a história de uma refugiada ruandesa que vive em São Paulo. Vamos tentar trocar as histórias, pra ver se a cena ganha mais sentido. Ao final, Thaís emendou sua cena com o conto “Certas Canções”. Mas faltou potência. Ela trará uma nova proposta na próxima aula.

ENCLAUSURADO – Erik Garcia
A cena foi feita igual a do último domingo, sem alterações. Faltou o Erik pensar nas palavras que estava dizendo, dando mais “colorido” e modulação às frases. Sugeri que Erik assistisse durante a semana ao filme “Old Boy”, como parte da sua pesquisa. Em resumo, faltou potência.

AS COISAS SIMPLES DA VIDA – Mateus Rosa e Willian Alves
A cena também foi feita nos moldes do que aconteceu na última aula. Willian inovou, com um objeto que faz som de vento e explorou novos movimentos a partir do buraco na parede. Não houve melhoras no trabalho de Mateus. Sugeri que ambos assistissem durante a semana ao filme “As Coisas Simples da Vida”, como parte da pesquisa. Também faltou potência ao trabalho de ambos.

CENA EM RELEVO, RETRATO EM SÉPIA – Gabi Robbles
A cena foi feita sobre um grande tecido azul no chão. E com dois grandes colares. Desta vez ela explorou mais o uso dos colares e emendou esta cena com a cena da mulher palestina, utilizando os mesmos objetos. Roman sugeriu que, na parte do enforcamento de Severino, ela pudesse dizer algumas palavras com a dificuldade imposta pela corda no pescoço. Houve potência, mas faltou um desfecho para a história da mulher palestina.

FÁBRICA – Lisandra Palma e Mateus Rosa
A cena contou com um pseudo-cenário, a partir de caixas de papelão e um tecido imitando esteira de linha de produção. A cena não foi satisfatória, não houve potência. Disse aos dois que da maneira como fizeram a cena há um mês atrás, ela tinha mais sentido, mais força. Porque era mais simbólica, menos realista. Os dois vão fazer as modificações necessárias para a próxima aula.

Peterson apareceu depois de três domingos ausente! Pegou o conto “21 Gramas”, mas não participou da construção das cenas. Ele e Willian ensaiarão comigo na quarta-feira, 27 de junho às 22h30 no CAC. Roman sugeriu ainda que todos assistissem ao filme”Zaitochi”

- Não vieram: Antonio e Carol

Nenhum comentário:

Postar um comentário